Casamento

10 dicas de como alinhar a comunicação para evitar conflitos em casa

10 dicas de como alinhar a comunicação para evitar conflitos em casa

Cadastre seu e-mail e receba com prioridade nossos conteúdos

Problemas em casa… Quem não tem? Em nossa casa, ao lado dos familiares, que costumamos nos despir de qualquer máscara que usamos em nossa sociedade e somos nós mesmos de fato e de verdade, com todos os defeitos e qualidades.

Alguém disse que se você quiser conhecer de fato alguém, basta que veja como essa pessoa se porta em sua casa. E é no ambiente familiar, onde todos estão mais à vontade, que costumam aparecer grandes conflitos.

Pais com filhos, maridos com esposas, sogras com genros, cunhados com cunhados, etc. Apesar de todos os conflitos e dificuldades dentro da família, não podemos negar que a família ainda é o melhor ambiente do mundo.

O que devemos fazer é saber lidar com os esses conflitos familiares de forma sábia e, assim, melhorar as nossas relações e convivência na família. Foi por isso que preparamos 10 dicas, que se forem seguidas, irão ajudar qualquer pessoa a lidar de forma sábia com os conflitos familiares e glorificar a Deus na relação com sua família.

Mas, o primeiro passo para lidarmos com os conflitos é lembrar que não conseguimos mudar o comportamento do outro! Não vamos falar daquilo que os outros devem ou podem fazer, mas sim daquilo que “eu” posso fazer para evitar estes conflitos.

Muitas pessoas que não se entendem no primeiro casamento, se não alterarem a sua forma de agir, provavelmente também não se vão entender no 2º nem no 3º… Os homens ou as mulheres são todos iguais! É a queixa de quem tem sempre a mesma atitude!

Então vamos deixar claro que isso aqui não é sobre o outro, mas sobre você. Então, antes de prosseguir, você precisa estar decidido a buscar mudança, de outra forma, é melhor parar por aqui e ir fazer outra coisas para não perder o seu tempo.

E aí?

Preparado para buscar refletir sobre suas ações e buscar mudança?

Então vamos lá!

  1. Definir normas familiares

Muitas vezes, as brigas acontecem por coisas pequenas. Conheci um casal uma vez que estava se separando e quando perguntei o motivo, um deles me disse pensativo: Não há um grande motivo pelo qual estamos nos separando, mas estamos sempre brigando por motivos pequenos que a nossa relação desgastou.

A definição de normas em casa, os ajudará a evitar conflitos, por exemplo: Que horas serão feitas as refeições? Qual a hora que as crianças devem ir para cama? As crianças podem jogar vídeo game ou ficar no tablet durante a semana? Qual será a nossa programação no fim de semana? Qual regra seguiremos no gasto com as finanças da casa?

 2. Respeite a autoridade do outro

Para evitar conflitos é preciso deixar claro quais são as normas da família e é indispensável que todos os membros as conheçam…

Depois de conhecer as normas, cada um deve respeitá-las e, quando não concordar, deve ter a liberdade de falar sobre aquilo que não concorda com os outros membros da família. Sempre com muito respeito!

Mesmo fazendo tudo isto, vai haver sempre algum conflito, então o que pode cada um de nós fazer para gerir estes conflitos e que eles não destruam a nossa família?

3. Alinhe as expectativas

Lembre dos últimos conflitos que você teve, seja em casa ou fora dela. A chance de eles terem acontecido devido a um ruído de comunicação é grande. E isso acontece porque, em geral, as pessoas têm expectativas em relação às outras, mas por algum motivo não as deixam claras. Seja a falta de tempo para conversar, seja por um medo prévio de criar um atrito. Por exemplo: você e seu marido falam sobre suas agendas? Quantas vezes já aconteceu de marcar um compromisso em que o outro precisa estar presente, mas não avisou e quando perceberam havia um conflito de horários? Talvez você tenha imaginado que seu esposo ou esposa já sabia o que você faria, mas, ele é obrigado a saber?”

4. Observe a sua maneira de falar

Você pode ter sido criado em uma família onde todos são sempre muito diretos em suas falas. Mas talvez seu cônjuge não. E é dessa diferença no tratamento que algumas brigas surgem. Então observem o tom comum entre você, seu cônjuge e mesmo seus filhos, e exercitem essa mudança. Se para você está “acostumado” a dar ordens, tente maneirar no tom e pedir com mais calma o que precisa. Claro que há dias em que você estará cansado e sem vontade de falar com ninguém, mas, lembra do primeiro ponto sobre as expectativas? Explique aos de casa que você está irritado e que deseja evitar ser rude ou ofensivo em suas palavras. Gritos, nunca!

Quando alguém dentro da família tem por hábito gritar, os demais membros não devem responder com mais gritos, aquele que grita sozinho, rápido percebe que está agir mal, mas se todos gritarem o ambiente descontrola-se e a falta de respeito é geral. Este tipo de atitude provoca muita frustração e termina por destruir a família.

5. Saiba ouvir e não interrompa quando o outro tiver falando

Somos ávidos para impor nossa opinião quando estamos em um conflito. Queremos de toda forma provar que estamos certos (mesmo que estejamos errados). A Bíblia, porém, nos ensina que saber ouvir é um poderoso segredo para não passarmos vergonha e sermos insensatos diante dos conflitos familiares: “Quem responde antes de ouvir, comete insensatez e passa vergonha.” (Pv 18:13).

Aprenda a ouvir mais! Aprenda a deixar a outra pessoa expor o ponto de vista dela. Muitos conflitos ocorrem e se mantém pelo simples fato de uma pessoa não ouvir a outra. Às vezes o problema gerador do conflito nem é tão grande, poderia ser facilmente resolvido, mas como ninguém se ouve, não há como dialogar sobre o conflito e solucioná-lo.

6. Escolha a melhor hora para falar

Apesar de ser sempre importante que a verdade seja dita, precisamos aprender que a verdade não pode ser dita de qualquer jeito, em qualquer momento. A Bíblia nos ensina: “Tens visto um homem precipitado nas suas palavras? Maior esperança há para o insensato do que para ele.” (Pv 29:20).

Diante dos conflitos familiares sempre reflita se aquele momento mais acalorado é o momento ideal para um diálogo verdadeiro. Às vezes, algumas verdades precisam sim, ser ditas, mas não de qualquer jeito ou em qualquer hora.

Não diga verdades difíceis em meio a uma confusão, com o coração irado. Essas verdades poderiam ser uma benção num momento de exortação em amor, mas podem acabar por se transformar num dedo acusador, e iniciar um carrossel de acusações.

7. Opte por relevar as ofensas

5 segundos de misericórdia economizam horas de discussão. Você até pode ter sempre uma resposta pronta para se defender, mas porque não optar por respirar e não ceder à provocação? Podemos escolher assumir que uma ofensa foi intencional e nos armar para a guerra, mas também podemos decidir que talvez o outro não tenha tido a intenção de dizer ou fazer aquilo. Procure dar um crédito ao outro.

8. Não jogue as coisas “na cara” da outra pessoa

É muito comum nos conflitos familiares que as partes comecem a jogar as coisas na cara um do outro. Ressuscitam erros do passado, evidenciam defeitos, tudo para ter munição para atingir o outro. É bem claro que essa atitude só agrava o conflito familiar.

Não somos chamados para machucar, mas para curar pessoas. A Bíblia ensina que “Palavras agradáveis são como favo de mel: doces para a alma e medicina para o corpo.” (Pv 16:24). Aqueles que conseguem fazer uso de boas palavras em um conflito familiar têm muito mais chances de curar esse conflito do que aqueles que usam suas palavras como armas para ferir.

Se o seu coração estiver irado, ou sua cabeça cheia de pensamentos maus, refreie a sua língua e poupe a sua família da devastação que suas palavras podem causar nos relacionamentos. Por isso, Tiago (1:19) nos diz: “Portanto, meus amados irmãos, todo o homem seja pronto para ouvirtardio para falar, tardio para se irar.”

9. Reconheça se estiver errado

Todos que entram em uma discussão se consideram a parte que está certa. Mas lembre que numa discussão sempre existem dois corações egoístas olhando para si mesmos. Então, busque onde foi que você errou, para terem chegado até ali, onde você pode melhorar. Nós resolvemos um conflito, quando começamos a olhar para nós mesmos.

A Bíblia ensina ainda que “O que encobre as suas transgressões jamais prosperará; mas o que as confessa e deixa alcançará misericórdia.” (Pv 28:13). O poder da atitude de reconhecer um erro e pedir perdão é muito maior do que imaginamos. Muitos pensam que somente os fracos perderiam uma discussão, mas a Bíblia é clara e ensina que os fracos são os que encobrem seus erros. Ter humildade para reconhecer que está errado dentro dos conflitos familiares é uma atitude capaz de resolver definitivamente o conflito.

10. Exercite o perdão

Devemos perdoar assim como queremos e pedimos que Deus nos perdoe (Mateus 6:12). Todos somos factíveis ao erro. Então, esteja sempre disposto a perdoar. E se isso for algo difícil para você, busque a Deus e peça que trate o seu coração. Ele é poderoso para nos transformar.

Fonte: https://osegredo.com.br/como-gerir-os-conflitos-familiares/

Hello,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cadastre seu e-mail e receba com prioridade nossos conteúdos