Cristianismo

O "manual: como devo educar meu filho" existe!

2 minutos min de leitura
O

Cadastre seu e-mail e receba com prioridade nossos conteúdos

Tenho o privilégio de estar no meio escolar, num ambiente com tantas famílias, e em conversa com alguns pais, senti o desejo crescente no meu coração de escrever sobre educação de filhos.

No mundo do relativismo, onde não há verdades absolutas, nos sentimos mais perdidos do que nunca quanto pais. 

Trabalhamos muito mais que a geração passada.

O tempo dedicado aos nossos filhos têm sido cada vez mais escasso.

Nos sentimos culpados e com medo de distanciarmos os nossos filhos ao repreendê-los ou lhes dizendo “não”.

Temos tão pouco tempo com eles, que queremos proporcionar momentos de convivência alegres e divertidos, entendendo que estamos construindo um relacionamento de amizade e um ambiente feliz.

Quando nossos filhos fazem algo que não deviam, fingimos que não vemos ou damos pouca importância, ou ainda os repreendemos de forma leve e superficial, para que eles não se chateiem e claro, para não estragar o momento.

Quando os nossos filhos choram porque querem algo, nós nos apressamos por modelar a situação à vontade deles, cedendo ou reorganizando tudo, afim de que ele se sinta feliz ao nosso lado.

E essa é a grande questão!

Se perguntarmos a qualquer mãe ou pai, qual o seu maior desejo para a vida de seu filho, a grande maioria responderá: quero que meu filho seja feliz.

Queremos vê-los felizes, claro! Qual o problema disso? 

Será que entendemos o sentido de felicidade?

De acordo com o dicionário, ‘felicidade’ significa sensação real de satisfação plena.

Proporcionarmos aos nossos filhos momentos alegres, sem repreensão ou lhes fazendo a vontade, NÃO lhes trará felicidade, apenas momentos de satisfação parcial.

Temos errado quanto ao caminho que estamos trilhando para orientá-los e conduzi-los até onde nós queremos que eles cheguem. 

Não temos idéia de como fazer isso e temos simplesmente, educado intuitivamente, por que afinal, não existe manual.

Mas eu quero lhe dizer que existe sim!

A Bíblia, a Palavra de Deus, escrita por homens inspirados por Deus, nos deixa um guia sobre como devemos nos comportar e nos relacionar como família, e nos dirige, quanto pais, em como educar os nossos filhos.

Que possamos crescer e aprender juntos sobre qual o caminho que devemos trilhar na educação de nossos filhos.

E, em nossa velhice, possamos olhar para eles, já formados, adultos, com o coração grato a Deus, felizes pelo que se tornaram. 

Hello,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cadastre seu e-mail e receba com prioridade nossos conteúdos