Cristianismo

Por que Deus faz tão mal?

Por que Deus faz tão mal?

Cadastre seu e-mail e receba com prioridade nossos conteúdos

Comecei a me fazer esta pergunta há algumas semanas atrás.

O que Deus faz de tão mal?

Sim, só pode ser. Por que as pessoas têm tanta necessidade de tirar Deus de todas as coisas?

Antes, a Igreja e o Estado eram um só.

Hoje, a Igreja não tem absolutamente nada a ver com o Estado, nenhuma influência e, se quiser ter alguma, é logo massacrada.

Antes, a educação era centrada em Deus ou continha minimamente alguma instrução sobre o Criador de todas as coisas na Pedagogia.

Hoje, é até proibido se falar em Deus em muitas escolas espalhadas pelo Brasil e pelo mundo.

A ciência era produzida por cristãos, mas hoje quando falamos em ciência, temos a sensação que todos os cientistas são ateus, e de que não dá pra inovar na ciência e crer em Deus ao mesmo tempo. Parecem coisas distintas.

E assim tem acontecido com todas as outras áreas das nossas vidas.

Deus é alguém que acreditamos, na maioria das vezes e a maior parte das pessoas aqui, no Brasil, acredita em Deus, mas muitos entendem que o lugar dEle é ali, apenas na Igreja.

Por isso, apesar de acreditar que Ele existe, preferem viver a vida como se Ele não existisse.

Por que as pessoas têm tanta necessidade de afastar Deus de suas vidas?

Se queremos incluir Deus na educação, por exemplo…

Logo as pessoas começam a indagar: “Por que Deus precisa estar na escola?”

Ou ainda, algo como: “Lugar de Deus é na igreja!”

Será que crianças que escutam sobre esse Deus, se tornam filhos piores?

Será que desobedecem mais?

Fazem mais birras, talvez?

Ou será que serão adultos bitolados? Será isso?

Será que pensam que aqueles que creem em Deus são pessoas limitadas, de visão estreita?

Um dado muito interessante que se choca com esse pensamento:

65% dos ganhadores do Prêmio Nobel do século passado eram cristãos e 20% judeus, ou seja, 85% das pessoas que impactaram a humanidade com seus feitos científicos eram pessoas que criam no Deus verdadeiro, Criador de todo o universo. E eles não apenas eram cientistas, como foram os cientistas mais relevantes de sua época!

E posso citar alguns outros: Galileu Galilei, Thomas Edson, Charles Darwin, Decartes, Albert Einstein…

Será que o fato de seus filhos crerem em Deus torna-os mais violentos? Mais propensos a transgredir a lei ou talvez mais propensos ao uso de drogas?

Um estudo recente da Universidade de Harvard, feito com crianças de 8 a 14 anos durante uns 5 anos, mostrou que crianças que foram ensinadas a orar e ir a igreja tiveram 33% menos incidência de uso de drogas.

Talvez, as pessoas que acreditam em Deus ou têm algum tipo de relação com ele se tornam mais infelizes?

Um estudo publicado no ano passado pela Universidade de Harvard mostra que as pessoas que têm uma educação religiosa, vão a igreja e oram são 18% mais felizes.

Talvez pessoas que creem em Deus são mais influenciáveis ou são menos críticas?

Poderemos citar, pelo menos, duas dezenas de cristãos que mudaram o mundo em diversas áreas diferentes de atuação. Todos abaixo não só eram cristãos, como se utilizaram da visão cristã como base para o desenvolvimento de seus projetos e ações no mundo.

Na Literatura:

  • Clive Staple Lewis (1898 – 1963, Inglaterra)
  • J. R.R. Tolkien (1892 – 1973, Inglaterra)
  • Gilbert Keith Chesterton (1874 – 1936, Inglaterra)
  • Fiódor Mikhailovich Dostoiévski (1821 – 1881, Rússia)
  • Jane Austen (1775 – 1817, Inglaterra)
  • Laura Ingalls Wilder (1867 – 1957, EUA)
  • Leon Tolstói (1828 – 1910, Rússia)
  • Miguel de Cervantes (1547 – 1616, Espanha)

Na Pintura:

  • Rembrandt Harmenszoon van Rijn (1606 – 1669, Holanda)
  • Jan Vermeer (1632 – 1675, Holanda)
  • Michelangelo Merisi – Caravaggio (1571 –1610, Itália)

Na Música:

  • Johann Sebastian Bach (1685-1750, Alemanha)
  • Georg Friedrich Händel (1685 – 1759, Inglaterra)

No Cinema:

  • Terrence Malick (1943, Estados Unidos)
  • Andrei Tarkóvski (1932 – 1986, Rússia)
  • Ingmar Bergman (1918 – 2007, Suécia)

Nas Ciências:

  • Robert Boyle (1627 – 1691, Inglaterra)
  • Francis Bacon (1561 – 1626, Inglaterra)
  • Blaise Pascal (1623 – 1662, França)
  • Samuel F.B. Morse (1791-1872, Estados Unidos)
  • Charles Babbage (1792 -1871, Inglaterra)
  • Michael Faraday (1791-1867, Inglaterra)
  • Johannes Kepler (1571-1630, Alemanha)
  • Max Planck (1858-1947, Alemanha)

Na Política:

  • William Wilberforce (1759 – 1833, Inglaterra)
  • Desmond Mpilo Tutu (1931 – África do Sul)
  • Noah Webster (1758 – 1843, Estados Unidos)
  • Samuel Rutherford (1600 – 1661, Escócia)
  • Abraham Kuyper (1837 – 1920, Holanda)
  • Elizabeth Fry (1780-1845, Inglaterra)

Será que os cristãos são pessoas com falha de caráter?

Quem entende o que é ser cristão, entende também que o termo “cristão” quer dizer “pequenos Cristos”, ou seja, imitadores de Jesus Cristo. Não somos perfeitos, mas somos chamados a imitar a Cristo em todas as coisas.

Quem pode olhar para a vida de Jesus e apontar apenas uma única falha?

Então, o que nos resta pensar?

Que tanto mal é esse que Deus faz às pessoas que as fazem ter tanto medo de qualquer contato com Ele, ou de que seus filhos tenham contato com esse Deus?

Pessoas que creem em Deus são mais felizes, menos propensas ao uso de drogas ou violência, são influenciadores na humanidade, são pessoas que amam o conhecimento e não apenas fazem ciência, mas se destacam pelo seu saber e suas descobertas, são pessoas que tem o mais alto referencial de caráter…

Aqueles que têm a bíblia como referência ainda aprendem a ser excelentes esposas e maridos, excelentes filhos e pais, excelentes amigos, aprendem a olharem o necessitado com amor e bondade…

Quem são as maiores referências de bondade no mundo?

Talvez você tenha pensado na Madre Teresa de Calcutá ou de São Francisco… Ambos eram cristãos e viviam uma vida para Deus!

Mas, com certeza, não houve alguém mais amoroso, mais bondoso, mais sábio e mais misericordioso que o próprio Jesus Cristo, a quem verdadeiros cristãos têm como seu mestre, guia e exemplo, o nosso Deus.

Enfim, só posso pensar que as pessoas alimentam esse “medo de Deus” por algo que talvez eu tenha perdido, alguma mentira que foi contada algumas vezes, e acabou crescendo como verdade no coração dessas pessoas… Ou de muitos, sem nem perceber de onde estava vindo!

Aquelas mentiras sutis contadas aqui e ali e que vão tomando forma em nossas mentes e corações e se transformando em verdades distorcidas. Como mentiras sobre a autoridade ser algo ruim e que tolhe a nossa felicidade, sobre conceitos errados de liberdade, como se os mandamentos de Deus nos escravizassem e as verdade do mundo oferecessem a verdadeira liberdade, quando é exatamente o contrário.

Aqueles sentimentos que a gente sente e a gente nem sabe como foram parar ali. Só sabe que existem. 

Mas quero te ajudar a quebrar essa corrente de mentiras e distorções, te fazendo pensar sobre isso… E te lembrando da história, fatos reais que mostram o quanto pessoas que criam em Deus e caminhavam com Ele, foram relevantes, críticos, cientistas renomados, mundialmente conhecidos.

O excesso de Deus te traz alegria verdadeira, paz que excede todo o entendimento, sabedoria admirável, amor pelo conhecimento, misericórdia para com o próximo, amor pelos que o rodeiam.

O contato com Deus pode te trazer não apenas uma, mas todas essas coisas!

Ele pode te fazer muito bem!

Bem-aventurado é Aquele que teme ao Senhor e anda nos Seus caminhos!

Fonte: https://educarcomsapiencia.com/2014/08/01/cristaos-que-influenciaram-a-cultura-e-mudaram-o-mundo/

Andressa Oliveira

Hello,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 Replies to “Por que Deus faz tão mal?”

Shirley

Maravilha ler textos como esse. Cada dia mais tenho certeza que o problema do mundo é a falta de Deus, é o afastar-se Dele.
Amei!!! 👏🏼👏🏼👏🏼👏🏼👏🏼

Liliane

Louvo a Deus pela visão dada aos líderes da Eccoprime. A escola que todo pai Cristão sonha pro seu filho!!

Cadastre seu e-mail e receba com prioridade nossos conteúdos