Educação Cristã

Quem nós estamos educando?

Quem nós estamos educando?

Cadastre seu e-mail e receba com prioridade nossos conteúdos

Ora, quando colocamos uma criança diante de nós para dar a ela uma educação, quem é essa pessoa, esse ser, que está na nossa frente e que receberá os nossos esforços e trabalhos educacionais?

Não é a nossa intenção aqui esgotar esse tema, nem temos como fazer isso,
mas hoje queremos te levar a pensar um pouco sobre esta realidade! Afinal, a correta compreensão de quem é o seu aluno impactará grandemente o modo como você ensina. Ora, o livro de Gênesis nos ajuda entendermos melhor quem são os nossos alunos, pois encontramos nele os seguintes textos:

“Criou Deus, pois, o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou.” (Gênesis 1:27)

“Então, formou o SENHOR Deus ao homem do pó da terra e lhe soprou nas
narinas o fôlego de vida, e o homem passou a ser alma vivente.” (Gênesis 2:7)

Ambos falam sobre a criação do homem. O primeiro afirma que o homem foi criado à imagem e semelhança de Deus e o segundo explica melhor como ocorreu essa criação.

Portanto, vemos que nós e nossos alunos não somos fruto do acaso, mas
sim seres criados por Deus e feitos à imagem e semelhança desse Deus. Não
somos independentes, mas dependentes do Criador, afinal,sem Ele nem
existiríamos! Não somos seres sem objetivo nesta terra, pelo contrário, carregamos a imagem e a semelhança de Deus e devemos, portanto, representa-lo. Pertencemos a Ele, Ele é a autoridade sobre nossa vida e devemos servi-Lo!

Entendemos ainda do que somos formados: temos um corpo e uma alma. Mas você pode estar pensando: o que isso tem a ver com educação? Como saber disso transforma a minha maneira de educar? De várias formas!

Primeiro, porque com isso compreendemos que a educação deve partir de uma fonte, um alicerce, um fundamento: Deus. Ele é quem define o que precisa ser feito com o ser humano, pois o ser humano é dEle. Sendo assim, o alicerce da sabedoria de Deus para a educação, contido nas Escrituras Sagradas, é o mesmo para nós hoje também.

Tudo isso é maravilhoso! Afinal, sendo guiados pelo caminho do Senhor temos uma sabedoria imutável em Deus para educar. Não precisamos ficar correndo de um lado para o outro tentando reinventar a roda. Algumas adaptações práticas poderão ser feitas, mas as verdades fundamentais não mudam. Reformamos a casa quando necessário, mas não mexemos nos alicerces.

Aparamos os galhos de uma árvore quando necessário, mas não podamos as raízes. Educamos a partir do alicerce sólido e inquebrável da Verdade de Deus, que dura para sempre.

Em segundo lugar, ao compreendermos tais realidades nossa educação
será direcionada primeiramente para Deus. Se o ser humano foi feito para
conhecer a Deus, e todas as coisas vem dEle e são para Ele, então todo o
conhecimento tem origem em Deus e aponta finalmente para Ele. O fim da
educação será um homem e uma mulher completos em Deus, maduros em Cristo.

Queremos alguém que desfrute da boa vida com Deus, de caminhar com Ele, e alguém que reflita a imagem de Deus, que ande em justiça e verdade. Educamos recebendo o conhecimento de Deus que nos leva para Deus.

Por fim, a última implicação é que o nosso foco na educação será o desenvolvimento da alma. Essa alma certamente está ligada e depende de um corpo para viver aqui. Não há dúvida disso, e assim procuraremos desenvolver o corpo junto com a mente. No entanto, o que estamos querendo enfatizar aqui é que, a felicidade da alma é mais importante que a gratificação do corpo. O corpo será cuidado e valorizado, mas como o canal para construir e desenvolver a alma. O que estamos tentando dizer é que é muito mais importante uma alma sábia que sabe ordenar e dar sentido a toda a sua vida e existência, inclusive que sabe prover para o seu corpo, do que uma alma que apenas almeja não morrer de fome e viver uma vida confortável. É bom e certamente faz parte da educação ensinar a alma como cuidar do seu corpo e dar descanso a ele conforme a
necessidade, mas não é só isso. Educar é ensinar porque devemos cuidar do corpo; qual é o propósito de se viver aqui; o que é descansar; e assim por diante.

O foco final do ensino é a alma prefeita, um tesouro em vasos de barro. Que Deus seja glorificado em tudo, inclusive nas salas de aula!

Augusto Guimarães

Hello,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cadastre seu e-mail e receba com prioridade nossos conteúdos