Disciplina

Como desenvolver a autonomia e a independência do seu filho

Como desenvolver a autonomia e a independência do seu filho

Cadastre seu e-mail e receba com prioridade nossos conteúdos

Desenvolver a autonomia em crianças e adolescentes é essencial para o futuro deles, mas, às vezes, algumas atitudes benéficas por parte da família podem passar despercebidas.

Quando nossos filhos nascem, buscamos a melhor forma de educar. E nos perguntamos inúmeras vezes se o que estamos fazendo é o mais acertado.  Na verdade, nos comportamos como nossos filhos que acabaram de aprender a andar, esbarrando, mas seguindo em frente, caindo e levantando.

Queremos ensinar os nossos filhos a andar, a comer sozinhos, a serem autônomos. Mas como fazer isso?

Um estudo feito pela Universidade de Montreal afirma que dar autonomia desde cedo para as crianças ajuda inclusive no desempenho cognitivo delas. Então, como fazer para incentivar a sua criança a ser mais autônoma desde cedo?

Não faça pelo seu filho o que ele já consegue fazer sozinho. Muitos pais costumam confundir o cuidado excessivo com o afeto e ajuda, isso se dá por diversos motivos como falta de tempo e informação sobre as capacidades específicas de cada faixa etária.

Ensinar a colocar o tênis sozinho é uma tarefa que demanda tempo e na correria do dia corremos o risco de optar por fazer pela criança para ganharmos tempo ou, ainda, por desconhecer que numa determinada idade ela já pode ser estimulada a fazer alguma ação sozinha com segurança e destreza.

Veja algumas atividades que ele tem autonomia de fazer, de acordo com a idade:

Dos 2 aos 3 anos

A criança é capaz de se alimentar sozinha, se sentar à mesa, guardar brinquedos, colocar sapados sem cadarços e de fácil manuseio.

Dos 3 aos 4 anos

O seu filho já pode ir ao banheiro sozinho, mas ainda com a sua supervisão. Nessa idade é possível ainda arrumar a mochila para a escola, separar roupas sujas das limpas (para isso vocês podem levar na mochila sacos de duas cores, um para limpas e outro para sujas e em casa disponibilizar cestos com as duas mesmas cores dos sacos da mochila).

Dos 4 aos 5 anos

Nessa faixa etária, a criança, se for estimulada já consegue se trocar e fazer sua higiene pessoal sozinha. É possível também que ela faça algumas refeições sem ajuda como, por exemplo, passar geleia no pão, com um objeto sem lâmina.

A partir dos 5 anos

A criança já consegue fazer sozinha algumas atividades domésticas como organizar o quarto, arrumar a cama, lavar louças que não são pesadas e ainda contribuir na preparação de alguns alimentos.

É importante também estimular a criança a cuidar da casa de diversas formas, como: regando as plantas, alimentando os animais e cuidando dos lixos recicláveis, por exemplo.

Cuidado com broncas rasas

Para uma educação boa e eficaz, a disciplina se faz extremamente necessário. Como qualquer indivíduo que está aprendendo a fazer algo, o seu filho irá errar, pois está aprendendo a viver.

Portanto, quando ele(a) errar, aproveite a oportunidade de lhe ensinar o caminho correto.

  1. Explique a criança que o que ela fez foi errado (independente de sua idade);
  2. Faça ela se colocar no lugar do outro (quando isso couber) ou;
  3. Explique que ele(a) podia ter se machucado.

Estes momentos são importantes para a construção de uma personalidade com valores sólidos.

No entanto, é preciso que você tenha bom senso e não banalize a bronca. Cuidado para não falar sempre em tom negativo, sendo muito impositivo.

Lembre-se de que seu filho está aprendendo sobre o mundo e precisa se sentir seguro para continuar se desenvolvendo. As broncas sem reflexão acabam fazendo com que ele se torne em um adulto inseguro e muito dependente da opinião dos outros. Por isso, antes de dar a bronca, certifique-se de que essa intervenção irá ajudá-lo a se tornar uma pessoa melhor.

A bronca só faz sentido para a criança quando ela entende o motivo da repreensão. Por essa razão, incentivá-la a refletir sobre as consequências de suas ações é um papel fundamental na construção da autonomia.

Incentive as escolhas e a resolução de problemas

Conforme seu filho cresce, novos desafios surgem. Incentive que ele resolva seus próprios problemas, sempre deixando claro que você estará por perto para dar o suporte necessário.

Converse sobre os desentendimentos com os colegas e a importância de se pedir desculpas e reconciliar as amizades, além de expor o motivo da chateação, buscando resolver os conflitos através do diálogo.

E, sobretudo, é preciso nos lembrarmos de sempre de perguntar o que ele acha correto e tem vontade de fazer, observando como ele busca solucionar os conflitos e assim poder mediar nessa formação.

Ao contrário do que se possa pensar, incentivar e desenvolver a autonomia não é deixar a criança fazer o que quiser. Pelo contrário, é dar atenção para suas respostas e guiar para as melhores escolhas, mas sem decidir por ela ou ignorar sua opinião.

Com equilíbrio e bom senso, você educará uma pessoa emocionalmente forte, decidida e segura de si.

Hello,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cadastre seu e-mail e receba com prioridade nossos conteúdos