Educação de filhos

Crianças pequenas só fazem brincar! Será?

Crianças pequenas só fazem brincar! Será?

Cadastre seu e-mail e receba com prioridade nossos conteúdos

Criança pequena precisa ir para a escola? Elas realmente aprendem alguma coisa na escola nesta fase ou só fazem brincar?

Os primeiros anos de vida são um período sensível para a aprendizagem de habilidades, desenvolvimento de aptidões e competências de modo mais facilitado. As experiências vividas nesta fase trarão impactos para o desenvolvimento do indivíduo por toda a sua vida, sejam positivos ou negativos.

A Educação Infantil ainda costuma ser vista por muitos como uma fase na qual as escolas oferecem apenas lazer e cuidado para as crianças. Mas entendemos que devemos ir muito além disso! Esta fase nos oferece oportunidades de aprendizados que quando bem aproveitadas além de evitar atrasos, trazem ganhos enormes ao desenvolvimento.

São as janelas de oportunidades. Segundo a Neuropediatra Dra. Deborah Kerches, Janelas de oportunidades são períodos em que o aprendizado de determinadas habilidades e competências acontece de maneira mais facilitada quando somos expostos a estímulos adequados para este determinado aprendizado.

É importante dizer que mesmo após o período de maior “facilidade” para o aprendizado, não significa que esta “janela”, ou seja, oportunidade, se “fechou” ou que esta habilidade não poderá mais ser aprendida, porém, devemos sempre pensar em aproveitar estas janelas de oportunidades para que possamos alcançar a potencialidade máxima de cada habilidade.

A Neurociência mostra que até os seis primeiros anos de vida, quando os pequenos começam a ter experiências fora do ambiente familiar, o cérebro tem uma capacidade incrível de aprendizagem. Ao nascer, um bebê possui 100 bilhões de neurônios. Desses, a maioria ainda não está conectada entre si no momento do nascimento. Essas conexões neurais (sinapses) serão formadas nos primeiros anos de vida, principalmente em resposta à interação com o ambiente. Por isso, essa etapa da vida, quando o cérebro tem mais capacidade para reter estímulos, merece receber toda a atenção possível da família e da escola. Desenvolver o paladar, aprender a patinar ou falar mais de uma língua, por exemplo, é bem mais fácil para uma criança em desenvolvimento do que para um adulto.

Desta forma, as atividades que promovem o conviver, o brincar, o participar, o explorar, o expressar e o autoconhecimento são fundamentais. A escola, então, se torna um espaço de estimulação do desenvolvimento cognitivo dos alunos com uma metodologia, por meio de atividades direcionadas e com intencionalidade pedagógica, permeadas pelo brincar. O desenvolvimento de habilidades motoras, linguísticas e valores dará suporte para que a criança enfrente os desafios futuros com confiança e autonomia.

A criança assimila conhecimentos sociais a partir da brincadeira e atividades assistidas pelos professores. O brincar sempre tem um motivo de desenvolvimento. Toda atividade de educação infantil tem um objetivo alinhado com as potencialidades inerentes à faixa etária, respeitando e aproveitando as oportunidades para que a criança se desenvolva, especialmente nos aspectos sensorial, motor, cognitivo, emocional e social.

A maior parte dessas janelas está “escancarada” (ritmo acelerado de desenvolvimento) até os 7 anos de idade, sendo que após esse período, o corpo vai dando prioridade para outros aspectos do desenvolvimento, como raciocínio lógico matemático e abstração, musicalidade, habilidades artísticas e esportivas específicas.

Vamos esclarecer!

Na escola  os estímulos estão de acordo com a faixa etária, desde bebê!

Um exemplo claro disso é que não ensinamos um bebê a andar de bicicleta, pelo fato de sabermos que ele ainda precisa percorrer um bom caminho de desenvolvimento motor antes de chegar nessa etapa. O mesmo ocorre com a leitura e a escrita: antes da criança pegar um lápis, precisará percorrer um longo caminho de maturação e desenvolver algumas habilidades. O intelecto precisa da maturação do corpo para desenvolver.

Por isso, levar em consideração as fases de desenvolvimento é essencial. Os cuidados na primeira infância são de extrema importância onde o bebê é estimulado de maneira que oportuniza a segurança, conforto e afetividade (desenvolvendo a autonomia). Dentro de um ambiente tranquilo, acolhedor e com estímulos adequados.

A importância de estímulos para o desenvolvimento motor.

Como falamos anteriormente, a maturação do corpo é de extrema importância para o desenvolvimento na criança.

O desenvolvimento psicomotor prepara o corpo para a leitura do mundo. Até os 7 anos de idade, as crianças fazem essa leitura do mundo com os sentidos, com as mãos (tudo quer pegar, sentir texturas…), com a boca (sentir a temperatura e se tem sabor), com o olhar (observa tudo), com o nariz (o cheirinho das coisas) e joga os objetos no chão ou até bater um no outro para ouvir o som.

A escola procura entender como a criança aprende: Criança aprende brincando!

A criança dá sentido a sua vida através do brincar. O professor passa o conhecimento de maneira lúdica, com leveza, convidando a criança a se envolver na atividade proposta e entender. Os estímulos são direcionados e com objetivo de aprendizagem. Sem perceber, a criança está desenvolvendo a capacidade de concentração, memorização e criatividade.

Entenda o tempo de concentração da criança!

O tempo de concentração de uma criança pequena, de 2 anos, por exemplo, para uma determinada atividade é de menos de 10 minutos. Crianças de 4 anos podem ficar de 15 a 20 minutos numa mesma atividade (pouquinho tempo, né?).

O tempo de interação é muito curto, os momentos de aprendizagens são intencionais através das experiências (vivências) e estímulos diversificados e naturais, quanto mais a criança explora, maior a imaginação, capacidade de concentração e memória.  

O caminho de aprendizado da criança, desde o seu primeiro dia, é a socialização.

A família é o primeiro meio social em que a criança é inserida e a socialização escolar amplia essa vivência. O acesso ao ambiente escolar nos primeiros anos de vida é muito importante para o desenvolvimento infantil, as brincadeiras e intervenção lúdica fazem parte desse processo que desenvolvem a capacidade motora, social, cognitiva, emocional e de oralidade.

É importante a primeiríssima infância estar na escola, pois a criança é exposta a estímulos que promovem o desenvolvimento infantil de maneira que contemplem várias áreas de aprendizagem.

Antes da alfabetização e letramento tem um longo caminho e que precisa ser bem estimulado nos anos iniciais. A criança precisa de maturação do corpo antes de escrever.

Hello,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cadastre seu e-mail e receba com prioridade nossos conteúdos