Cosmovisão

O que um cristão precisa saber sobre saúde emocional?

O que um cristão precisa saber sobre saúde emocional?

Cadastre seu e-mail e receba com prioridade nossos conteúdos

O encontro com Jesus e o relacionamento construído que se segue nos impacta de maneira profunda e tem implicações em nosso modo de pensar, sentir, viver. Quando nos debruçamos sobre a experiência da conversão, percebemos a amplitude das transformações propostas.

Na experiência da conversão de nossos corações e mentes a Cristo, há profunda mudança e reorientação de pensamentos, convicções e o desenvolvimento de maior clareza de compreensão através da experiência de que a verdade que nos liberta. O processo de conversão como caminhar na verdade e na luz é básico para o processo de cura e transformação.

A experiência da conversão não pode ser confundida como uma simples reforma de conduta e sim como novo nascimento, transformação profunda das pequenas coisas, das ações, escolhas, significados, pautados na identidade em Cristo.

No caminho de maturidade espiritual e emocional, quando anunciamos o arrependimento e a conversão de nossos maus caminhos, estamos dizendo que o Evangelho de Jesus é a boa notícia que nos traz transformação.

Na dinâmica de nosso relacionamento com Deus e com a comunidade, seguimos crescendo e reconhecendo em nós as fragilidades e isso faz com que tenhamos que entrar em contato com nossas emoções e afetos. Vamos diariamente ao encontro de Jesus ansiando pelo toque que traz a redenção tanto de nossas emoções quanto de nossa mente, em nossos pensamentos. Ao reconhecer as fragilidades e confessar nossas incapacidades e dependência, somos fortalecidos no poder de Deus e na identidade de filhos amados, desfrutando de alegria e paz.

Existe uma conexão entre saúde emocional e maturidade espiritual e, portanto, dificilmente nos tornaremos maduros espiritualmente se não passarmos por um processo de amadurecimento emocional.  

Nossa espiritualidade e caminhada de fé precisam ser integradas: unir mente e coração. Precisamos observar a dicotomia prática que vivemos, corrigir a rota e integrar estas realidades indissociáveis. Nossos afetos e sentimentos devem ser identificados e tratados à luz de Cristo, para que nossas emoções passem pelo processo de redenção e cura.

É neste processo de renovação da nossa mente, coração e emoções que somos transformados de maneira individual e coletiva. É um exercício diário de rendição de nosso sentir e pensar ao senhorio de Cristo, mesmo em meio às nossas limitações humanas. O contexto e o papel da comunidade de fé são fundamentais nesta caminhada de maturidade espiritual e emocional. Nosso crescimento acontece no relacionamento.

Este processo envolve um olhar atento tanto para o ponto de partida quanto para a direção do ponto de chegada. É importante saber de onde viemos e para onde estamos caminhando. Desta forma, poderemos, à luz da Palavra e sob direção de Deus, ressignificar nossos afetos, tomar decisões, nos engajar em disciplinas espirituais, cultivar relacionamentos de amizade na comunidade da fé, nos comprometer na missão, etc.

Precisamos incentivar e nutrir a vida compartilhada, coração aberto, terreno para transformações profundas e longitudinais.

As comunidades estão cheias, mas não enxergamos necessariamente pessoas em crescimento, mudança de vida prática. A experiência da conversão propõe um novo caminho, restauração, redenção, libertação do mal, recomeço na companhia de Deus e na comunidade.

Tudo isso proporciona um caminho de saúde emocional e vida, ainda que na jornada neste mundo estejamos sujeitos a lidar com tantas circunstâncias que contém sinais de morte.

O texto de Romanos 5 nos relembra do amor de Deus que nos transforma mesmo em meio à sentimentos de tristeza, raiva, amargura, sofrimento e até cinismo, apatia e desespero. Conhecemos este amor não apenas através da cognição, do pensamento, mas também através dos nossos afetos e somos encorajados na direção da esperança.

Enquanto reordenamos nossos afetos, o Espírito Santo derrama seu amor em nossos corações e isso nos leva à prática da gratidão. Romanos 5.3-4 nos apresenta o contexto do sofrimento, a prática da perseverança, a formação do caráter e da maturidade e uma caminhada de esperança Nele.

O toque de Deus em nosso encontro e caminhada com Ele, nos lembra diariamente de nossa identidade como filhos amados e somos transformados.

Através do Seu amor e Sua graça, nos oferece recomeço, um novo jeito de ser gente, de nos relacionar e trabalhar – sinalizando para o mundo, através da esperança a nós doada, um caminho de redenção em todas as esferas da vida.

Por Karen Bomilcar

Fonte: https://www.ultimato.com.br/conteudo/saude-emocional-e-maturidade-espiritual-o-que-a-igreja-pode-fazer

Hello,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cadastre seu e-mail e receba com prioridade nossos conteúdos