Corona Vírus

Seus filhos estão seguros?

Seus filhos estão seguros?

Cadastre seu e-mail e receba com prioridade nossos conteúdos

Em 2020, fomos surpreendidos com um novo vírus desconhecido. Quais os riscos para as crianças? Nos deparamos com uma pandemia e as crianças pareciam ser vetores potenciais. Foi mais do que o nosso sistema de saúde podia suportar. Milhares de dolorosas perdas pela doença. Então, tivemos que evitar o contágio. A solução: isolamento social.

O “Fique em casa” foi a máxima. O comércio precisou fechar as portas e as escolas foram impedidas de receber as crianças. A economia começou a entrar em colapso, milhares de pessoas desempregadas e sem sustento. Então, tivemos que flexibilizar a reabertura do comércio! E as escolas? NÃO! “Precisamos manter a segurança”.

Após quase um ano de crianças fora das salas de aulas presenciais, o que aprendemos? Nossos filhos estão realmente seguros? Quais as consequências deste isolamento para eles? As crianças representam, de fato, o maior risco para a transmissão do COVID-19? Como protegê-las?

Para saber, conversamos com o pediatra Dr. Daniel Becker, Mestre em Saúde Pública e colaborador da OMS (Organização Mundial da Saúde). Segundo ele, a privação prolongada da interação social e convívio escolar para as crianças trouxe diversos danos, alguns irreparáveis. Como recuperar as oportunidades de aprendizados específicas para cada fase do desenvolvimento, visto que essas fases passaram sem que os estímulos adequados fossem empregados? Sem falar dos inúmeros prejuízos físicos e mentais identificados em consultório como consequência desse isolamento. 

Ainda segundo o Dr., os riscos de uma criança adoecer gravemente pelo COVID é a mesma de ela ser atingida por um raio. Além disso, os índices de transmissão por crianças são ínfimos em relação ao que acontece entre adultos. “Se você tem alguém do grupo de risco em casa, a probabilidade de esta pessoa ser infectada por um adulto, que sai para trabalhar, é maior do que pela criança que está em casa ou na escola”. Sobretudo, porque a escola é um ambiente controlado, com profissionais treinados e com um rígido protocolo de segurança. O que, na maioria das vezes, não acontece em casa, visto que as famílias nem sempre conseguem dar conta de todas as demandas acumuladas: trabalho, educação de filhos e manutenção do lar. 

Sendo assim, a melhor forma de proteger as crianças do COVID e das diversas consequências que a pandemia trouxe, não é mantê-las fora do ambiente escolar, enquanto todos os demais espaços públicos, como shoppings, parques e praias permanecem abertos. As escolas devem ser consideradas como serviços essenciais e seguros para as crianças considerando suas necessidades de maneira integral. 

“É hora de pensar nas crianças: lugar de criança é na escola”, Dr. Daniel Becker.

Aqui na Eccoprime, temos o privilégio dado por Deus de contar com uma área de 2500 m² de espaço verde, salas de aula ao ar livre e uma equipe de profissionais que preza pela excelência em tudo. Proteção extra para que nossas crianças continuem aprendendo e com segurança. 

Agende uma visita pelo: (81) 9 9248-8265

Hello,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cadastre seu e-mail e receba com prioridade nossos conteúdos